inclusão de arquivo javascript

Imóveis
 
 

Índice que reajusta o aluguel deve subir menos neste ano

07 de janeiro de 2013 20h15

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) fechou 2012 com alta de 7,29%. Foto: Shutterstock

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) fechou 2012 com alta de 7,29%
Foto: Shutterstock

Em 2013 os aluguéis vão subir menos que em 2012. Pelo menos é o que sugere a última edição do Boletim Focus, divulgada no último dia 4 de janeiro pelo Banco Central. Isso porque os 100 analistas de mercado consultados pela publicação esperam que o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) - que reajusta a maior parte dos contratos de locação - tenha uma elevação menor neste ano do que no anterior.

A expectativa do mercado neste primeira semana de 2013 é que o índice suba 4,98% este ano, quase três pontos percentuais abaixo dos 7,82% registrados em 2012. Vale lembrar, no entanto, que, em janeiro passado, a previsão do Banco Central era que o IGP-M ficasse em 5,5%.

Para o coordenador de Índices da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Salomão Quadros, a tendência é que realmente aconteça uma desaceleração do índice, já que os fatores que levaram a esse aumento estão, a princípio, com boas perspectivas para 2013.

"O aumento do IGP-M se deve a problemas enfrentados pela agricultura em 2012, tanto no Brasil, como no exterior. As adversidades climáticas levaram a grandes perdas de safras, que serão compensadas neste ano, pesquisas e sondagens já mostram um aumento no plantio, principalmente da soja, a mais afetada. Assim que os commodities agrícolas se normalizarem haverá uma importante desaceleração do índice", explica Quadros.

Segundo Paulo Tavares, presidente do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis de Minas Gerais (Creci-MG), mesmo que haja uma deflação do IGP-M em 2013 o inquilino não vai ter uma queda no preço do aluguel, e sim um reajuste menor no aniversário do contrato. Já no caso do fim do contrato o valor pedido será o de mercado.

"Nem sempre o contrato é reajustado caso o valor esteja de acordo para o locador, que se apoia na opinião de um corretor de imóveis, mas é possível que no próximo aniversário ele aplique um reajuste maior que o IGP-M vigente no mês de aniversário do contrato", diz Tavares.
PrimaPagina
  1. O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) fechou 2012 com alta de 7,29%, a maior porcentagem dos últimos três anos  Foto: Shutterstock

    O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) fechou 2012 com alta de 7,29%, a maior porcentagem dos últimos três anos

    Foto: Shutterstock

  2. Segundo Paulo Tavares, presidente do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis de Minas Gerais (Ceci-MG), mesmo que haja uma deflação do IGP-M em 2013 o inquilino não vai ter uma queda no aluguel, e sim um reajuste menor no aniversário do contrato. Já no caso do fim do contrato o valor pedido será o de mercado  Foto: Shutterstock

    Segundo Paulo Tavares, presidente do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis de Minas Gerais (Ceci-MG), mesmo que haja uma deflação do IGP-M em 2013 o inquilino não vai ter uma queda no aluguel, e sim um reajuste menor no aniversário do contrato. Já no caso do fim do contrato o valor pedido será o de mercado

    Foto: Shutterstock

  3. O coordenador de Índices da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Salomão Quadros, diz que a tendência é que realmente aconteça uma desaceleração do índice, já que os motivos que levaram à alta estão sendo regularizados, como é o caso do plantio de soja e de outros commodities agrícolas, que sofreram grandes perdas em 2012 por conta do clima  Foto: Shutterstock

    O coordenador de Índices da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Salomão Quadros, diz que a tendência é que realmente aconteça uma desaceleração do índice, já que os motivos que levaram à alta estão sendo regularizados, como é o caso do plantio de soja e de outros commodities agrícolas, que sofreram grandes perdas em 2012 por conta do clima

    Foto: Shutterstock

  4. A expectativa do Banco Central para 2013 é que o índice desacelere e feche em 4,98%  Foto: Sai Yeung Chan/Shutterstock

    A expectativa do Banco Central para 2013 é que o índice desacelere e feche em 4,98%

    Foto: Sai Yeung Chan/Shutterstock

/imoveis/foto/0,,00.html